Hello there!
Assim que tive meu match, enviei e-mail para as secretarias de estado do Brasil solicitando o kit turismo. Queria muito o Kit Embratur, que antigamente vinha com jogo americano e bandeirinha do Brasil, mas, infelizmente, descobri que não enviam mais.

Apenas cinco estados me responderam: Santa Catarina, Espírito Santo, Pará, São Paulo e Minas Gerais. Queria muito do Rio de Janeiro, meu estado, mas precisaria buscar as revistas no centro da cidade e não seria viável para mim. Alguns kits vieram com material em Português, que vou deixar para minha mãe usar com os alunos dela em sala de aula. Outros vieram em Inglês e pretendo levar.

Santa Catarina:

- 1 livro de fotos lindo com informações em inglês;
- 1 "passaporte" com informações sobre o Estado;
- 2 revistas em português;
- 7 cartões-postais.





Espírito Santo:

- 1 pasta zip lock;
- 1 CD em inglês;
-1 folheto em inglês.


São Paulo:

- Um bloquinho em papel reciclado;
- Vários folhetos, todos em português;
- 4 cartões-postais.



Minas Gerais:

- 1 mapa da Estrada Real;
- 2 folhetos em inglês;
- 1 guia turístico em inglês;
- 1 guia turístico em português;
- 1 guia de eventos em português.


Pará:

- 1 revista em inglês;
- 1 brochure em inglês;
- 1 folheto em português.


O meu preferido foi o do Rio Grande do Sul, mas gostei dos outros também (tirando São Paulo, que foi bem inútil). Pretendo levar alguns materiais em inglês para mostrar para os hosts quando chegar.

Enviei mensagem para os e-mails listados no blog da Lari e para estes também:

silvana.nascimento@turismo.mg.gov.br,
gabriel.salgado@turismo.mg.gov.br,
comunicasetur@turismo.mg.gov.br,
informasetur@turismo.mg.gov.br,
gabinete@turismo.sp.gov.br,
imprensaturismo@sp.gov.br,
turismoestadosp@gmail.com,
turismo@setu.pr.gov.br,
rodrigoswinka@setu.pr.gov.br,
imprensa@setu.pr.gov.br,
marketing@turisrio.rj.gov.br,
christiane@setur.rj.gov.br,
miriamturisrio@gmail.com,
gabineteseturrj@gmail.com,
andersonmoura.turisrio@gmail.com,
ascomturismorj@gmail.com,
samia.setur.rs@gmail.com,
carmen.gama@turismo.ba.gov.br,
gab@turismo.ba.gov.br,
imprensa@seplan.am.gov.br

Apenas Minas Gerais me respondeu, os kits dos outros Estados chegaram sem eu saber. Então, vale a pena arriscar (aproveitando que é de graça, né? haha).
Até o próximo post!


There's no guarantee
That leaving town's gonna set us both free
But stayin' here, it's just not what we need
Because America shines, yes it does
(At Full Speed - Jack's Mannequin)

A fase mais estressante do pré-Au Pair passou! - e eu ainda não acredito no quão fácil ela foi. Recebi da Cultural Care as informações sobre o visto em 20/04 e preenchi o DS-160 no mesmo dia. Essa parte é chatinha, pois são muitos detalhes para prestar atenção, mas a agência envia um documento com os procedimentos. Após preencher, escolhi a opção de boleto para realizar o pagamento, que caiu logo no dia seguinte. Depois agendei o CASV e o Consulado para os dias 07 e 08/05.

Nas duas semanas seguintes, separei os documentos necessários e conferi tudo mil vezes antes para ter certeza de que não estava esquecendo nada. No dia 07/05, domingo, saí de casa às seis da manhã, com medo de me atrasar. Cheguei ao CASV ao meio dia e estava fechado. Havia marcado o horário de 15:30 para o caso de o trânsito estar congestionado, mas na verdade acabei me antecipando demais. O CASV abriu às 13:00 e as filas foram formadas de acordo com o horário. Ou seja: eu passei quatro horas sentada em frente à Lagoa, esperando o meu horário. 

Depois de entrar, peguei uma fila imensa e aguardei 20 minutos até chegar à cabine. Tiraram minhas digitais e uma foto, coisa de dois minutos. Por isso, por favor, não cheguem muito cedo! O pessoal é bem rigoroso e você só vai poder entrar no horário marcado. Além disso, confira todos os documentos antes de ir. Uma moça na fila se esqueceu de levar a confirmação do DS e pagou 50 reais para imprimir uma mísera folha!

Paisagem que me acompanhou por 4 longas horas

No dia seguinte, saí da casa da minha tia às 06:00. O trânsito estava horrível, então pegamos o metrô e saltamos na Cinelândia às 08:30. Perguntei se podia entrar na fila e me pediram para voltar meia hora antes do horário marcado, que era às 10:00. Minha malinha estava pesada, então entrei num café e comprei um pão de queijo só para poder sentar (pois é). Decidi voltar para a fila 9:00 e me deixaram entrar.

Lá dentro, pegaram meu passaporte, a confirmação do DS e a taxa Sevis. Depois fiquei esperando sentada na segunda fileira do saguão por uns dez minutos. Devolveram meu passaporte com os documentos e pediram para as pessoas da minha fileira seguirem para outra fila (gente, CASV e Consulado são um eterno entra e sai de fila). Depois de mais algum tempo, me orientaram a ficar em frente à cabine 6 e a cônsul me chamou. Atenção para a entrevista mais sossegada do mundo:

Cônsul: Bon djia!
Eu: Bom dia!
Cônsul: Me dê o passaporte e o DS, por favor.
Eu: (entrego os dois pelo vão da cabine)
Cônsul: Para onde você vai?
Eu: Redondo Beach, Califórnia.
Cônsul: Oh, nice. Vai ser Au Pair. Você fala inglês?
Eu: Yes (não me perguntem por que eu respondi em inglês, também não sei)
Cônsul: O que você faz aqui?
Eu: Acabei de terminar a faculdade.
Cônsul: Ok, eu preciso colher as suas digitais, coloque os dedos da mão direita aqui.
Eu: (nervosa porque não tenho digitais na mão direita, coloco os dedos mesmo assim)
Cônsul: Ih, não deu certo, vamos tentar com a mão esquerda.
Eu: (coloco os dedos da mão esquerda e dá certo)
Cônsul: Ótimo, você vai receber o passaporte em casa. Boa viagem!
Eu: Obrigada, bom dia!

Tudo em português, nenhum documento requisitado e uma cônsul que tomava Starbucks ao mesmo tempo em que falava comigo. Super fácil! Acho que foi para compensar o estresse do dia anterior no CASV. Agora é só aguardar o passaporte chegar em casa e começar a correria para comprar mala, presente, remédio... 

Ah, 45 days to go!


Sete meses on-line. Entre muitas dispensas, datas de embarque que não batiam e feelings não correspondidos, finalmente posso dizer: I have a match!

O processo de Au Pair, embora seja diferente para cada uma de nós, é uma caixinha de surpresas que nos testa desde o início. Ficamos ansiosas para a entrevista, para o teste de inglês, para os resultados, para o match, para o visto, para o embarque... A verdade é que estamos sempre esperando pela próxima etapa. 

Eu decidi ficar on-line oito meses antes da data de embarque pretendida. Pode parecer bastante tempo, mas sempre me senti mais confortável sabendo que teria folga para escolher a família que quisesse. Tive muitas no perfil (sério, ainda não acredito que foram tantas), mas, como quantidade não é qualidade, o match demorou alguns meses para chegar. Além disso, como fiquei on-line muito cedo, a maioria das famílias que entraram em contato comigo me queriam para janeiro/fevereiro - e como eu estava presa aqui até março por conta da formatura, só me restou dispensá-las.

Se você não está na idade limite para o programa, não corra com o processo. Não tenha pressa; leve o tempo que for necessário para escolher a melhor família para você. Todas sabemos que não existem famílias perfeitas, mas isso não significa aceitar qualquer uma que entre no seu perfil. Não foque apenas no lugar. Todos que me conhecem sabem que meu sonho sempre foi o Arizona. Eu queria muito uma família de lá, mas não aconteceu. E, se acontecesse, eu não encontraria a família que encontrei. Não, eu (definitivamente) não sou aquele tipo de pessoa "tudo acontece por um motivo". No entanto, o fato de eu me abrir para outras possibilidades me trouxe uma família que parece ser legal. E, mesmo sabendo que apenas a rotina decidirá se nós realmente seremos um bom match, eu estou feliz por agora.


Eu tive o famoso feeling com três famílias. A primeira entrou no meu perfil em outubro e era de Baltimore/MD; eu simplesmente amei o perfil deles, mas não deu certo porque desistiram de ter au pair. A segunda entrou no início de janeiro e era de Teaneck/NJ; conversei bastante com a mãe por e-mail, mas infelizmente nossas datas não batiam - me doeu muito ter que dispensá-los. A minha família entrou no meu perfil na madrugada do dia 30/01. Eu vi a notificação na hora e corri para ler as informações. Não tive o feeling imediatamente, como havia acontecido com as duas anteriores, mas o modo como eles escreveram as informações do perfil me chamou a atenção e eu decidi conversar.

No primeiro Skype eu me apaixonei. Mas, como boa desconfiada que sou (não era possível que eles fossem tão legais daquele jeito!), não me deixei levar e mandei uma lista de perguntas para o e-mail da hosta. Ela me respondeu, marcamos mais um Skype para ela reforçar as respostas e eu comecei a perceber que eles poderiam ser a minha família. Isso me deixou um pouco ansiosa e, no dia 02/02, eu pedi para eles saírem do meu perfil. Falei que queria conversar com outras famílias para ter certeza de que faríamos o match certo e eles saíram assim que receberam meu e-mail.

Depois disso, trocamos mais mensagens e marcamos um Skype para eu conhecer as kids, ao mesmo tempo em que eu conversava com outras famílias. Fizemos o Skype e aproveitei para pedir para falar com a Au Pair atual. Eles me passaram o contato dela, conversamos por meia hora e ela confirmou tudo o que eu esperava. Depois, continuei mantendo contato com a au pair por e-mail e isso me ajudou muito a conhecer melhor a rotina e a personalidade da host family.

Eles voltaram para o meu perfil em 18/02, dia da minha colação de grau. A hosta me mandou um e-mail gracinha me parabenizando e marcamos mais um Skype para a semana seguinte. Era Carnaval e a Internet estava horrível por conta do tanto de acessos ao mesmo tempo, então ficamos eu e minha amiga Babi (que é Au Pair em Seattle e tem um blog maravilhosinho linkado aqui) correndo de casa em casa para achar uma conexão decente. Foi um Skype super divertido. Nós sabíamos que queríamos o match e, como foi tudo bem natural, não rolou aquele "Will you be our Au Pair?". Depois disso, continuamos em contato por e-mail e fizemos outro Skype três semanas depois. Eles me mostraram a casa e logo em seguida recebi um e-mail da hosta:


E o meu match foi assim, agora é torcer para ter feito uma boa escolha e partir para os próximos passos. Estou bem animada e mal posso esperar pelo embarque. ♥

Redondo Beach, California, here I go!